Tpffcelticsociety

Já é possível relatar casos online de cães acorrentados


Já é possível relatar casos online de cães acorrentados / Notícias

Graças a um novo pagina web Já é possível registrar denúncias para divulgar a situação em que muitos cachorros que são acorrentados por horas. Este tipo de abuso ocorre tanto nas cidades quanto nas áreas rurais, na maioria das vezes porque são usadas frequentemente como guardiões da casa.

Nos casos mais leves, uma carta será enviada para tentar conscientizar sobre o sofrimento do cão, e casos sérios serão enviados diretamente ao tribunal correspondente.

A campanha lançada com o site Sen Cadeas (Sem correntes) tem um formulário simples no qual basta inserir os dados do denunciante (nome, número de telefone, localização e e-mail de contato), que são solicitados para evitar falsas reclamações, de modo que em nenhum caso eles irão ao luz Você também tem que preencher uma seção dedicada à descrição da situação do animal, e existe a possibilidade de anexar uma imagem para ajudar ao descrever em detalhes as condições em que ela se encontra. O site permite relatar casos que ocorrem na Espanha, embora esteja disponível em vários idiomas, como inglês, francês e alemão, entre outros.

Existem alguns cachorros que estão em péssimas condições, amarrados com correntes ou com cordas de apenas alguns metros de comprimento, que fazem o animal só poder fazer uma série de movimentos, causando problemas físicos e psíquicos. Este tipo de abuso fará com que sua atitude seja temerosa, e pode até se tornar agressivo como um reflexo do medo que eles sofreram de maneira prolongada. Muitos deles, apesar de serem bem-vindos, não podem deixar para trás esses comportamentos.

O relato dos casos mais leves será comunicado ao dono dos cães por meio de uma carta que visa conscientizar sobre os danos sofridos pelo animal ao ser acorrentado e livrar-se dos vínculos. Nos casos mais graves, uma reclamação formal será feita nos tribunais correspondentes. O que as associações amigáveis ​​dos animais que criaram esta página querem é aumentar a conscientização para que o conceito do cão de guarda que cuida da casa seja alterado e que não haja casos de encadeamento ou confinamento em varandas.